quarta-feira, 31 de outubro de 2007

O quê o quê? Não, obrigado....


O título deste post mistura duas situações com que me deparei num ambiente altamente familiar hoje, em casa da minha avó. A minha prima "R" (como a vou chamar aqui) foi lá almoçar e passar a tarde. Ora bem, à hora do almoço aconteceu uma primeira situação que achei interessante.

AVÓ: Queres mais batatas fritas? Tira!

Prima R: Não, não obrigado... já ‘tou cheia!


Mas daí a uns segundos tirou mais umas batatas.


Passámos a tarde de uma forma muito divertida até chegarmos à hora do lanche (altura da segunda situação). A minha irmã disse algo sobre cortar alguma comida com uma faca. E a minha prima disse "Para quê?". E eu não entendi e perguntei "O quê?!" e a minha irmã finalizou com o famoso "O quê o quê?".

Ora bem, achei que não podia deixar passar em branco aqui no blog estes dois acontecimentos que acho que se podem enquadrar na sociedade de hoje, quase como etiqueta (mais um que outro). A primeira situação é, na minha opinião, uma forma do convidado mostrar respeito: "Não, não quero mais... obrigadinho, não é preciso...não se incomode... não, não...", fazendo caras simpáticas. Mas, desculpa lá prima, não acham que está a ser mais mal-educado assim? Primeiro está a recusar o convite (a não ser que o interveniente já tenha tenções de o convidado reagir desta forma; não me admirava nada) e depois está a desperdiçar comida (por outro lado pode estar a insinuar que o dono da casa é rico, tem muitos bens!).

Na segunda situação, é uma coisa própria dos dias de hoje. E a minha irmã agiu, desculpa lá irmã, como qualquer pessoa que quisesse destoar a conversa agiria. AO colocar um "O quê o quê?" na conversa está a condená-la ao fracasso: ou se vai por aí fora e se entra na (suposta) brincadeira ou acaba-se já ali todas as perguntas que se tinham feito antes (um coisa vem a reboque da outra).

Desculpem se vos pareci maçudo ou demasiado pessoal. Não tenho qualquer opinião concreta acerca destes dois assuntos, mas talvez vocês tenham. O quê? O quê o quê? Reflictam, vá lá... :)

Tiago

14 comentários:

Rui disse...

Hmm... quando uma pessoa nos faz um pedido ou oferta, temos duas respostas possíveis; a positiva ou a negativa. Ora bem, quando nós fazemos tal, pedido/oferta, devemos de qualquer forma, esperar uma destas respostas, pois é o direito da pessoa a que nos dirigirmos, recusar a oferta ou o pedido.
Mal educação, está na forma como se formula qualquer uma destas respostas, quer a positiva ou negativa, podem ser mal educadas, algo do género: "Sim quero e rápido." (XD) ou "Não e não peça mais."

Como podes ver, a má educação não está presente na resposta negativa, pois esta é tão válida quando a positiva. E devemos estar cientes disso, uma pessoa pode muito bem recusar uma oferta, e não deve sentir-se mal por isso, e ver conforme as suas necessidades. A tua prima por exemplo, não lhe apetecia na altura, mas apeteceu-lhe depois, acontece, recusar é completamente normal.

Não devemos confundir estes dois, de maneira nenhuma! Já eu tive muitas perguntas do "Podes me dar um bocadinho?" e eu, digo que não e as pessoas respondem-me com um "Egoísta!". Que é isto? Sou algum armário? Eu posso muito bem recusar com todo o agrado, pois é tal o meu direito e ninguém me deve dar uma má resposta de volta. Pode sim, é tentar negociar comigo e aí sim vamos a alguma lado, à boa conversa! "Vá lá, dá lá um bocado." "Oh, prontos, mas para a próxima tens de dar! :p", isto sim eram respostas extremamente positivas e de boa educação! :)

Quanto ao "o quê, o quê" devo concordar, é um disrupta conversas e algo desnecessário XD

Sol da meia noite disse...

Penso que este post vem um pouco na linha do anterior e dum outro mais atrás.
Insisto sempre na autenticidade em qualquer situação. Odeio posturas artificiais.

Mais uma boa reflexão, muito boa mesmo.
*

Fátima disse...

Olá Tiago!
Desde já um obrigada pelo miminho deixado nas minhas "Vivências", o presente de certa forma também é teu, que passas frequentemente.
Quanto ao teu post de hoje, também eu fui criada com todas as regras da boa educaçao e tento transmiti-las as minhas filhas. Porque para teres boa educaçao, nao faz falta teres um bom nivel social, acho que me faço entender.
Infelizmente e cada vez mais,alguns dos jovens e também adultos desta sociedade "apressada", deixaram de ter em conta, um dos valores mais importantes para saber estar que é a boa educaçao.
Ainda bem que existem pessoa como tu que ainda os respeitam, acho que deverias passar essa mensagem com todos aqueles com quem partilhas o teu dia a dia.
Porque a boa educaçao é algo pela qual nao temos de pagar e fica bem em qualquer lugar...
Excelente reflexao!

Deixo-te um beijo e um desejo de um optimo fim de semana, se for caso disso.

Patrícia disse...

Eu sou mais do tipo: "Não obrigada comi muito ao almoço" ou a qualquer refeição do dia. Acho que existem certas pessoas que ficam ofendidas por o convidado não aceitar a comida mas a pessoa pode estar mesmo cheia e não conseguir comer nada ou pode estar simplesmente envergonhada e não querer dar trabalho. Acontece bastante vezes e muitas das quais o convidado sai da casa da outra pessoa cheiinho de fome.. ou simplesmente não gosta da comida...

Bem, hoje vou variar e dizer.. Continuação de bom trabalho... :)

Tiago' disse...

Rui,
essa conclusão foi muito boa! A resposta não é necessáriamente má quando se responde que não ;)

Obrigado pela reflexão ;)

Tiago' disse...

Sol da meia noite,
pois, também não gosto muito desse tipo de postura, daí a minha alergia a fotografias "planeadas"!

Obrigado pela reflexão ;)

Tiago' disse...

A Fátima,
o que dizes é verdade! A boa educação é sempre-benvinda! :D

Obrigado pela reflexão ;)

Tiago' disse...

Patrícia,
por vezes o estômago também pode "dominar" a pessoa XD

Obrigado pela reflexão ;)

foryou disse...

oh Tiago, porque havia um "não, obrigada, não quero mais" dito com 1 voz calma e terna, ser má educação? Mesmo que passados uns minutos, provavelmente por gulodice :) até se aceite?!

Quanto ao "o quê, o quê?" faz-me lembrar aquela expressão"deixa" que quer dizer tudo e nada :P

Um bom fim de semana :)

Tiago' disse...

Foryou,
eu não quis exactamente dizer que era falta de educação, ams que pode haver motivos e pormenores nessa frase que podem fazer com que o ouvinte leve a mal XD

Obrigado pela reflexão ;)

Alexandre disse...

Acho que responder «não obrigado» é um reflexo condicionado a uma certa inibição, que aprendemos desde pequenos... mas batatas fritas da avó é impossível dizer não...

Abraços!!!

Aliice. disse...

Isso acontece.me bastante nas festas de anos.. Primeiro digo qe não, mas depois penso melhor. 8D

Olha, acontece.. Pode não ser má-educação.. Apenas vergonha de tar a dar trabalho à pessoa..

PS:Odeio quando as pessoas dizem "O qê O qê ? x'D

PPS: Adoro a imagem qe puseste no fim do post. :D

tarinocaz disse...

Mas que reflecção confusa! Mas digo muitas vezes "o quê o quê?"...é tão giroo!

Tiago' disse...

Tarinocaz,
por vezes a nossa metente divertida fala mais alto. O quê o quê pode ser, ou não, uma maneira de nos divertirmos! :D

Obrigado pela reflexão :)