domingo, 7 de outubro de 2007

Como aproveitar melhor a vida?


Hoje em dia não ligamos às coisas mais básicas. Apenas vivemos o decorrer dos factos e do tempo, criando os nossos próprios objectivos pessoais e, por vezes, interferindo (directa ou indirectamente) nos dos outros. A pergunta é: Será que não estamos a ser um pouco... mal-agradecidos?

O que quero dizer com isto é que talvez não estejamos a aproveitar ao máximo o que nos está a ser disponibilizado. Quando chove, por exemplo, na maioria das vezes dizemos no máximo: "Está a chover." Não será bem-vinda um pouco mais de expectativa? Não devíamos apreciar a chuva? Não é tão importante, afinal de contas? Então porque não fazemos isso?

Talvez porque somos egoístas. Pensamos apenas no EU de cada um, e esquecemo-nos do mais básico, que é o NÓS! Devemos aproveitar tudo, como se fosse a última vez!

E chegando a este ponto existe mais uma questão: Imaginemos que estávamos à beira da morte, e que estava a chover. Porque razão iríamos apreciar muito mais a chuva do que se estivéssemos num dia normal? "Ai... vai ser a ultima vez que vou ver isto...". Porquê? Porque só quando estamos desesperados é que ligamos para estas coisas?

Dei o exemplo da chuva, mas há tantos e tantos outros! Agora, um pequeno exercício:

Olhem para a janela mais próxima de vocês. Fixem uma nuvem no céu, onde quer que seja. Se não existir, imaginem-na. Agora pensem os caminhos que a nuvem já percorreu até se transformar numa nuvem. Reflictam sobre a idade daquelas partículas de água. E as histórias que contariam, se ganhassem vida.

Tiago

16 comentários:

Aliice. disse...

Acho que tens toda a razão! Apesar de eu adorar chuva e gostar que chova . xD

Vi o teu exemplo e segui-o.. Não consegui contar porque isso é tudo relativo, há partículas nas nuvens que se podem ter formado hoje mesmo. :X

Mas pronto, gostei!

Tiago' disse...

Aliice,
Quanto áquilo de tentar supôr a idade das goticulas era apenas uma maneira de querer fazer ver o quão se devem concentrar e supôr :D

E obrigado pelo comentário! Sinto-me feliz por teres feito o exercicio! :)

Sol da meia noite disse...

Muito boa esta reflexão!

Eu atrevo-me a ir mais longe e dizer que muitas vezes, só perdendo o que já tivemos, lhe sabemos dar valor...
Quantas vezes, em vez de valorizarmos o que temos, nos pomos a inventar o que nem existe...

Beijinho!

Patrícia disse...

Concordo inteiramente contigo Tiago..somos muito egoístas porque pensamos apenas no nosso "umbigo" -passo a expressão- e não nos importamos com os outros... também fiz o teu exercício e devo dizer e não me consigo focar em nenhuma das histórias que a minha mente criou em relação à nuvem que segui...mais uma vez um excelente tema...

Continuação de bom trabalho !!

Tiago' disse...

Sol da Meia Noite,
No primeiro ponto, concordo contigo: de facto, só depois de perdermos as coisas é que lhes damos mais valor!
No segundo ponto, já não concordo tanto: Penso que uma coisa não implica a outra, e o universo do imaginário e do fantástico também pode existir!

Muito obrigado pelo comentário! :D

Tiago' disse...

Patricia,
Seria óptimo que nos contasses as tuas reflexões, mas nesse caso...

Muito obrigado pelo comentário e pela feitura (correcta?) do exercicio! :D

Victor Nogueira disse...

Bravo Tiago
Não tenho tempo, mas como sou relativista, por feitio e por (de)formação profissional, há sempre mais de um ponto de vista sobre cada acontecimento e sobre a «visão« de cada coisa. Por isso não concordo com a Patrícia, pois isto nada tem a ver com egoísmo ou egocentrismo, emboora a maioria tenha «horror» à diferença ou ao que é «anormal».
Isto dava panos para mangas, mas termino com um exemplo: um copo com água até meio, para uns está meio cheio, para outros meio vazio. Mas .... isolemos o termo «mangas». Qual a primeira ideia ou conceito te surge? Mangas pode ser um fruto,aquela parte do vestuário que cobre os braços,um preguiçoso, a mangueira dos bombeiros ... E se vês uma pedra no chão dirás «aqui está uma pedra». Podes seguir mas podes levantar a pedra e debaixo dela estará mais húmido ou haverá vida, talvez não a erva que a rodeia mas lesmas ou formigas.
Um abraço, Tiago

tarinocaz disse...

Pois é... tens de começar a fazer mais exercicios... bem preciso. Eu so nao faço hoje e agora porque e de noite...
lol

beijinho *

Tiago' disse...

Victor,
uma muito boa reflexão! Gostei muito da forma como exploraste as coisas e criticaste o comentário da Patricia! Afinal, estamos aqui para reflectirmos e mostrarmos os nossos pontos de vista!

Obrigado! :)
E um abraço ;)

Tiago' disse...

Tarinocaz,
Ainda bemq eu aproveitas estes exercicios... fazem-nos reflectir! ;)

Obrigado! :)

Sei que existes disse...

Na maioria das vezes somos mesmo egoistas e não sabemos aproveitar o bom que temos nesta vida!
Beijocas grandes

Thomas disse...

Só sentimos falta do que não temos. Para já não temos falta de água portanto não sentimos falta dela. Não sentido falta dela não apreciamos quando chove. Poderia ter feito o teu exercício, no entanto tenho mais coisas para pensar, não me leves a mal. Discordo quando dizes que é egoísta não pensarmos nestas coisas. Tenho quase a certeza que não é algo em que penses diariamente, nem tu nem ninguém, da tua idade que viva numa cidade.

a.filoxera disse...

Belas imagens (tanto nas palavras como nas fotos).
Continua!

Tiago' disse...

Sei que existes,
Ainda bem que concordas comigo! Sabes, penso que uma boa solução para um dos tipos de eoismo é mesmo reflecitrmos as coisas que se passam.
Obrigado ;)

Tiago' disse...

Hum... venom,
Acho que não é, de facto, uma coisa em que pense diáriamente, mas não me importava que gastasse dois minutos do meu dia a fazer isso. Sentirme-ia mais... rico, apenas ao pensar que tive a sorte de ver o céu.
Obrigado pelo comentário! ;)

Tiago' disse...

A.Filoxera,
Ainda bem que gostaste! Também gosto imenso das imagnes (bendito google! :D)
Obrigado :)