terça-feira, 9 de outubro de 2007

Arroz: Uma História!

Hoje vamos reflectir sobre um outro pensamento que provavelmente nos passa ao lado. Vou falar do caso do "arroz", mas são tantos e tantos os restantes exemplos... poderão aplicar ao que vos passar pela cabeça! Imaginemos que chegamos do nosso trabalho e um ente nosso faz-nos uma surpresa, ao dizer-nos que o jantar está já pronto e servido!

Sentamo-nos à mesa e o nosso prato já está completo: uma bifana com arroz de ervilhas.

Das duas uma: ou pensamos nisto que eu vou dizer ou não pensamos. Que histórias de vida já percorreu aquele arroz? Que custo teve até chegar ao nosso prato, quente e pronto a comer, vindo directamente... (deixem-me ir confirmar a marca deste arroz...)... da China?! Não podemos adivinhar, mas podemos supor.

Á cerca de um ano, um grupo de agricultores chineses resolveram criar um negócio de Arroz. Compraram uma propriedade, que não deve ter sido barata, e fizeram as suas plantações (onde devem ter gasto um balúrdio em mão de obra). Em seguida, esperaram pela colheita, tratando dos produtos regularmente. Feita a apanha dos grãos, foi enviado para fábricas especializadas que trataram de curar e embalar o arroz. Foi trazido em aviões até Inglaterra, onde foi registado, e daí para Portugal. Foi colocado à venda, onde o nosso ente o comprou. Tratou de o aquecer... num fogão a gás (que também terá a sua história!).

É como eu disse. Ou pensamos ou não pensamos... já pensaste?

Pois... e vais pensar? :)

Tiago

PS: As respostas da votação são respectivamente: "Sim, já tinha pensado", "Não, mas tenciono pensar" e "Não, e não tenciono". Votem! ;)

16 comentários:

tarinocaz disse...

adoro arroz paaaaaaa! sempre me disseram que noutra vida devo ter sido chinese! arrozzz!

Tiago' disse...

Tarinocaz,
De facto também gosto bastante de arroz! Com ervilhs, milho, de tomate... fica sempre bom! E, com este minha reflexão, espero que ainda tenhs ficado a gostar mais, tomendo consiência do trabalho que dá ele chegar á tua boca! XD

Obrigado e um beijinho! :D

Aliice. disse...

Bem, eu prefiro massa.. Mas essa conversa do arroz veio da aula de Geo não? O.o

Mas pronto, eu sinceramente já pensei donde é que vinha o arroz. E hoje soube mais coisas. :D

Tiago' disse...

Aliice,
Também gosto de massa, especialmente esparguete... agora batata cozida e feijão frade é que é mesmo!! XD

Obrigado pelo comentário :D

Patrícia Mendes disse...

Eu nunca pensei de onde teria vindo o arroz,nem como veio cá parar.
Cá o meu pai tem uma receita de arroz perfeita:para mim não há melhor!
É arroz de tomate,mas é especial!
Foi baptizado como "arroz à pai" XD
Mas eu adoro todos os tipos de arroz,menos um:
ARROZ COM ERVILHAS!!!
A sério.Eu não gosto de ervilhas.

Gostava que fizesses um post sobre ervilhas.

Tiago' disse...

Patricia M.,
ainda bem que aprendeste uma coisa nova ainda hoje! também gosto desse arroz, e quanto á sugestão das ervilhas... é um caso a considerar!

Obrigado pelo comentário! ;)

Sol da meia noite disse...

Incrível a capacidade que tens de reflectir sobre as coisas mais banais!
Acho que hoje a vida nos leva a fugir a reflexões. Mas lá está, se vivemos deste modo, muito caminho foi percorrido até aqui. E o arroz e o fogão, devem ter sofrido alterações ao longo desse caminho. Por exemplo, dantes os fogões eram diferentes de hoje... e o arroz provavelmente só se consumia nos locais de produção e pouco mais...

Muito boa reflexão!
Beijinhos!

Tiago' disse...

Sol da meia noite,
exactamente. os fogões não só têm a sua história "pessoal" como a dos fogões em geral, por exemplo. E isso acontece com tudo. Até com o Ser Humano. Temos a nossa história pessoal e a história do humano em geral. Ora pensa lá...

Obrigado pelo comentário :)

Gigi disse...

Eu penso no arroz de outra maneira quando viajo e vejo os arrozais. De outra forma, ou seja, quando está dentro do pacote ou dentro da panela não creio que alguma vez tenha pensado que volta aqueles grãos de arroz já terão dado...
Acho que fazes muito bem em reflectir dessa maneira, ajuda-te a ver o mundo melhor e de uma forma calma e natural.
Parabés pelo blog.
:-)

Thomas disse...

Jovem, daqui a bocado olhas para um bife e pensas na vaca que foi morta para tu puderes ter o bife à tua frente, a erva que ela comeu, a agua que bebeu, etc. Não acho que valha a pena pensar na "historia" da comida :P, limito-me a saborea-la.

Tiago' disse...

Gigi,
é exactamente isso. De uma forma natural e parcialmente total (adoro esta expressão :))
Muito obrigado pela opinião! ;)

Tiago' disse...

Thomas,
É exactamente essa a piada! XD
Tu não gostas, mas eu gosto, assim como me sitno curioso por saber o que é ainda mais pequeno que um quark! :P

Obrigado pelo comentário! ;)

Alexandre disse...

Devíamos pensar um pouco na história do arroz pelo menos quando estamos a desgustá-lo! Um dos nossos problemas é que não pensamos nas coisas, muito menos por conceitos! Se nos pedirem para definir arroz começamos a engasgar... e no entanto é algo que faz parte do dia a dia!

Um abraço! E bom apetite!!!

Tiago' disse...

alex,
Essa coisa de definir algo também é um assunto de que falarei brevemente!

Obrigado pelo comentário! ;)

Patrícia Cruz disse...

Eu de vez em quando, quando não tenho fome, ponho-me a brincar com o arroz e o garfo e começo a imaginar o que terá acontecido antes de ter ido parar ao meu prato.. é claro que superficialmente porque quando dou por mim, já comi aquele pequeno grão...
Tudo tem a sua história e alguns sabem o que realmente aconteceu e outros fazem suposições, tal como eu...

Continuação de bom trabalho!!

Tiago' disse...

Patricia,
O que um pequeno grão de arroz pode provocar... ao nivel da mente e da ideologia das coisas!!

Obrigado pelo comentário ^^