domingo, 13 de abril de 2008

A Filosofia de Calvin & Hobbes


Carreguem na imagem para a verem completa
Desculpem não ter dito nada durante todo este tempo, mas a escola recomeçou e no inicio custa sempre um bocadinho a arrancar. Quero dizer, este ano também não vai ser propriamente fácil a parte terminal... exames, e tal...
Mas mudemos de assunto, pois vou tentar compensar este período de duas semanas de silêncio no blog com uma reflexãozinha acerca da Filosofia. Quem lê o nome deste blog, associa um pouco a filosofia; pelo menos, há mais probabilidades de associarem a esse tema do que a bolachas, ou a férias nas caraíbas. E apesar da Filosfia não estar presente no blog de forma explícita, tenho intenção de fazer com que haja uma presença assídua desta nos posts do próximo ano lectivo. Pelo menos vou ter o apoio do manual do 10º ano para fundamentar temas =P [Apesar de ter a noção de que a filosfia que se aprende na escola é, pelo menos, de uma forma inicial, muito pouco creativa; pensando bem, posso compensar essa falta de creatividade aqui no Reflexões Exteriores]
Para quem conhece Calvin & Hobbes [não acredito que haja alguém que não conheça] sabe que as tiras e as histórias no geral são todas à base de filosofia. O rapaz pega num príncipio e adapta-o à sua realidade, satirizando-o. Como tenho na minha casa um familiar que simplesmente adora banda desenhada, inclusivé esta, de vez em quando pego num dos 4 ou 5 livros de 100 páginas de Calvin & Hoobes e leio umas tiras. Há primeira vista, é uma simples visão infantil do mundo. Mas não é. E é mais do que significados poderosos e teorias humanistas que estão ali descritos. É pegar nelas, e ter a compreensão de as perceber, para depois as distorcer e adaptar.
Deixo-vos uma tira, para que percebam o que vos quis dizer [carreguem na imagem da tira para a verem completa]. E, para quem não conhecia, ou nunca leu, deixo também o conselho.

Tiago'

PS: Para quem não percebeu, o último post era uma partida do dia das mentiras :D
PS2: Para quem gosta de ler, e de livros no geral, disponibilizo o link de um blog de passagem OBRIGATÓRIA que contém criticas a livros, anúncios de lançamento, estantes originais, fotografias de colecções de livros de diversas pessoas... é espetacular! Visitem -> http://estante-de-livros.blogspot.com/
PS3: Têm 4 dias restantes para votarem na votação das eleições americanas, na barra direita do meu blog!

5 comentários:

Wireless disse...

Hello. This post is likeable, and your blog is very interesting, congratulations :-). I will add in my blogroll =). If possible gives a last there on my blog, it is about the Wireless, I hope you enjoy. The address is http://wireless-brasil.blogspot.com. A hug.

Francisco Norega disse...

Gostei do post ;-) Eu acho que as criticas/sátiras/etc estão presentes em (quase) todas as formas de criação literária. Os humanos, como seres pensantes que são, gostam de questionar tudo o que está à sua volta, de pensar sobre tudo e mais alguma coisa. Alguns livros são chatos e densos e, àqueles que são suficientemente persistentes, fazem pensar; outros são mais "softs" e deixam mensagens aos leitores nas entrelinhas, propositadamente ou não; depois há ainda outros que, com um grande sentido de humor, fazem críticas à sociedade, conseguindo cativar um maior número de leitores. Um excelente exemplo é o C&H, como explicaste ;) Essa tira é curta mas faz-nos pensar. E bem :-)


PS2: Para quem gosta de ler, e de livros no geral, disponibilizo o link de um blog de passagem OBRIGATÓRIA que contém criticas a livros, anúncios de lançamento, estantes originais, fotografias de colecções de livros de diversas pessoas... é espetacular! Visitem -> http://estante-de-livros.blogspot.com/
Bem, sem estar aqui a publicitar o Cantinho, acho que o http://blogtailors.blogspot.com/

Duartaranha disse...

GRANDE TEXTO!

VISITA O MEU BLOG:-)

DUARTARANHA:)

Sei que existes disse...

Olá Tiago, também tenho andado um pouco ausente...
Conheço bem este tipo de banda desenha e aprecio muito!
Beijo grande

Filoxera disse...

Mas desapareceste por tantos dias que já parecia verdade...