terça-feira, 16 de junho de 2009

A Primeira Estrada (O Último Post)


Costuma-se dizer que as estradas não têm fim: mesmo quando uma termina, vai dar a outra, que por sua vez se ramifica em dezenas delas, e cada uma dessas se divide em ainda mais... e todas elas tiveram início na estrada original. E que estrada original é essa? A primeira de todas, não necessariamente a mais importante, mas a que tomou a liberdade de existir. E se dividir, dar frutos.

Cada um de nós deve ser essa estrada principal em tudo, e no que toca à Reflexão deve ser o mesmo: devemos tomar a iniciativa de reflectir. E como o fazer? No que reflectir, e de que forma?

Pode ser em qualquer coisa: a pessoa deve fixar-se em algo, concrecto ou abstracto, e falar de forma sincera acerca do que sente sobre essa coisa. A partir de um facto ou suposição, desenvolvê-lo e explorá-lo até conseguir chegar a algo um pouco mais completo. E depois, se quiser, pode partilhar o produto da sua Reflexão com os outros. Pode criar uma nova estrada que nasça a partir de si.

Não são só as estradas e as vias rápidas que são feitas de Reflexões Exteriores, que se ramificam umas nas outras até darem origem a uma rede a nível global. Devemos ser também nós. Cada um de nós deve ser a sua própria estrada original - não necessariamente a mais importante, mas pelo menos a primeira. Aquela que reflecte. E que dá aos outros o produto do seu reflectir.

Tiago
___________________
Muito obrigado a todas as pessoas que por cá passaram, uma ou duzentas vezes; obrigado a todos os que comentaram e comigo reflectiram; obrigado àqueles que de uma das reflexões, apenas de uma, extrairam algo importante para a sua vida; continuem a reflectir, sempre. E, de preferência, exteriormente!

9 comentários:

Isa disse...

Sentirei a tua falta!
Quem sabe,um dia?!
Tudo de bom.
Beijo.
isa.

Kath disse...

Oh. Tadito.

Patrícia disse...

Eu já tenho a minha estrada. E é bom que essas estradas e todas as vias e atalhos construídos nunca acabem, não importa o que passe.
Obrigada a ti por teres feito reflectir e aperceber de coisas que passavam despercebidas.

Beijinhos=)
Patrícia

p a t r í c i a * disse...

Tu esforçaste-te neste blog, começaste cheio de reflexoes, deixaste de postar reflexões a partir de uma certa parte, mas não desististe e postaste na mesma...
rande Tiago! :D


Sentirei saudades do blog. Mas não deixarei de visitar o novo :)

Filoxera disse...

E tu, vais desaparecer?
Espero que não...
:-(((

Francisco Norega disse...

Até uma próxima ;)

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.